7 dicas de alimentação para as grávidas nas festas de fim de ano

Como fazer escolhas saudáveis? Quais alimentos não podem ser consumidos durante a gestação? O que fazer se exagerar na comilança? Descubra!

Por Luísa Massa 27 dez 2016, 17h36

É tempo de reunir a família, encontrar os amigos, trocar presentes, agradecer pelas coisas boas que aconteceram ao longo do ano e, claro, saborear vários pratos gostosos. O problema é que com tanta comida à disposição, nem sempre as pessoas conseguem manter uma alimentação equilibrada – o que merece ainda mais atenção na gravidez.

“A gestante tem que ingerir alimentos com menor índice glicêmico e não pode ficar em jejum por um período muito grande. Não significa comer menos, mas, sim, o tanto adequado. Falam que grávida tem que comer por dois e isso não é verdade. Em uma gravidez saudável, a mulher deve engordar até 9 quilos”, explica Ana Luisa Vilela, médica nutróloga da Clínica Slim Form, de São Paulo.

Para ajudá-la a não exagerar e fazer escolhas positivas nas festas de fim de ano, elencamos 7 dicas com orientações dos especialistas. Confira a lista abaixo e saiba como manter a sua saúde em dia durante a gestação:

1. Faça escolha saudáveis: isso significa privilegiar as proteínas, frutas e legumes tanto nos almoços quanto nos jantares. “As grávidas devem investir no consumo de oleaginosas (castanhas, amêndoas, nozes), priorizar os sucos naturais e as carnes magras, como frango, chester e peru – sempre optando por consumir a parte do peito”, aconselha Vanessa Gama, nutricionista da Clínica Benesse, do Rio de Janeiro.

2. Tome cuidado com o excesso de gordura, açúcar e sódio: o recomendado é que as gestantes não consumam as gorduras que estão presentes nas carnes e também nas maioneses. “O legal do final do ano é que as frutas estão sempre presentes. Então, não tem motivo para comer tantos doces, que trazem uma caloria vazia”, explica a nutróloga Ana Luisa. A médica ainda ressalta que a ingestão de muito açúcar pode causar picos glicêmicos e levar ao diabetes gestacional. Comidas com sódio, como enlatados e embutidos, também devem ficar de fora do cardápio para não descontrolar a pressão da futura mamãe. “Bebidas alcóolicas, alimentos gordurosos e muito salgados podem dificultar a circulação sanguínea causando inchaços, aumentando a gordura corporal e a pressão arterial”, aponta a nutricionista Vanessa Gama.

Continua após a publicidade

3. Coma devagar para evitar a azia: alguns fatores interferem para que esse desconforto surja na gravidez. “Quanto mais gordinha a grávida for, mais aperta o estômago e quanto mais avançada está a gestação, pior fica a azia”, explica Ana Luisa. Por isso, ela recomenda que a futura mãe coma com calma e em pequenas quantidades: “Alimentos ácidos, como molho de tomate e suco de limão, agravam o problema”.

4. Prepare seus drinks: a gestante não pode consumir absolutamente nada de álcool, mas nem por isso tem que deixar de saborear deliciosas bebidas. A médica dá uma dica bem bacana para as mamães que querem se refrescar: “Ao invés de bebida alcóolica, coloque água tônica nos coquetéis”.

5. Saiba a procedência dos alimentos: esse item merece atenção especial das gravidinhas que passam as festas de fim de ano em hotéis, festas ou barracas de praia. “Não coma folhas verdes sem saber a procedência e lembre-se de que tudo deve ser muito bem cozido. Nada de carnes sangrando”, orienta a nutróloga Ana Luisa.

6. Atente-se ao inchaço: mais uma vez, fique de olho no que você come. “Evite refrigerantes em geral e alimentos que contenham muito sal – como bacalhau e embutidos (tender, peito de peru, lombinho, presunto, bacon, entre outros)”, reforça a nutricionista.

7. Tente se controlar e não exagerar na comilança: o ideal é que grávida mantenha uma alimentação equilibrada ao longo dos nove meses e, também, nas festas de fim de ano. Mas, se por acaso você comer além da conta, tome algumas providências no dia seguinte. “Ingira mais líquido e tenha uma alimentação saudável, principalmente porque grávida não pode se automedicar”, ressalta a médica da Clínica Slim Form. Vale lembrar que se o desconforto estiver muito grande é importante entrar em contato com o seu obstetra para que ele dê as orientações necessárias.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade