7 benefícios de ser mãe depois dos 35

Listamos os principais benefícios da maternidade tardia. Confira!

Por Lígia Menezes (colaboradora) Atualizado em 20 set 2017, 20h11 - Publicado em 10 mar 2015, 05h40

Hoje são comuns as mamães de primeira viagem com mais de 35 anos. Nessa faixa etária, muitas mulheres se encontram em uma situação mais estável e sentem mais segurança na hora de educar o bebê. Mas o que muita gente não sabe é que há muitas vantagens em ter filhos nessa fase da vida, desde a sexualidade da mãe até a diminuição do risco de depressão pós-parto.

1. Mais paciência

Mamães mais velhas tendem a investir mais na educação dos filhos e ainda têm mais experiência e sabedoria para compartilhar com eles. Além disso, terão mais oportunidades para levar os filhos na escola, participar de reuniões escolares e ainda costumam ter mais paciência com as crianças.

2. Mais maturidade

Os benefícios não são uma exclusividade das mamães, não. Com o passar do tempo, os papais também tendem a ter uma melhor situação financeira. Isso se reflete na segurança que ele vai oferecer ao bebê.

3. Maior disponibilidade para a criança

Quanto mais velhos forem os pais, mais presentes estarão na vida dos filhos, pois já deram conta de suas prioridades e podem planejar melhor o futuro da criança. Com mais de 35 anos, o casal está maduro e tem uma relação equilibrada – o que é ótimo para a educação das crianças. Sem contar a disponibilidade de tempo: aos 20 anos, parece que o mundo está correndo lá fora. Essa sensação não aflige as mulheres mais maduras com tanta intensidade.

Continua após a publicidade

4. Risco de depressão pós-parto diminui

A maior incidência de depressão pós-parto ocorre nas mães que têm entre 15 e 24 anos. Com mais de 35 anos, a gestação tende a ser planejada, o que diminui a chance de depressão pós-parto.

5. Gravidez tranquila

Alterações hormonais em gestantes fazem com que as emoções oscilem bastante. Porém, em mulheres mais velhas, a proporção que esses sentimentos tomam é menor graças à maior experiência de vida. A oscilação de emoções sempre ocorre na gravidez, tanto nas mães mais jovens como nas mais velhas, mas o que muda é a maneira de lidar com elas.

6. Saúde em dia

Quando a mulher tem mais de 35 anos, o risco de desenvolver diabetes, hipertensão arterial na gestação e ter um parto prematuro são maiores. Graças a isso, gestantes mais maduras costumam fazer um acompanhamento mais rigoroso nessa fase e tomam mais cuidados com a saúde do que as mamães mais novinhas.

7. Melhor relação com o corpo

Mulheres mais experientes também lidam melhor com as mudanças que ocorrem no corpo – o que faz bem até para a sexualidade delas. A relação da mulher com o seu corpo se torna mais consciente, impedindo que as alterações causem impacto na vida sexual e na interação com o parceiro.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade