“5 coisas que mudaram na minha vida depois que eu me tornei mãe”

Um filho traz muitas mudanças para as mulheres, mas nem todas elas são visíveis. Confira o depoimento de uma mãe que conta sobre as principais modificações que surgiram depois que o seu pequeno chegou ao mundo.

Mariana de Salve, 32 anos, é mãe do Gael, de 11 meses, jornalista e idealizadora do blog Maternidade Vida Loka. Aqui, ela listou as principais mudanças que vivenciou após o nascimento do seu filho.

“Muita coisa muda na vida de uma mulher depois que ela se torna mãe. Todos sabem que a maternidade é avassaladora e transforma tudo a nossa volta. Mas, afinal, como essa modificação acontece na prática? Eu sempre me perguntava isso quando estava grávida, mas só depois que o Gael nasceu, eu pude realmente entender como as coisas funcionam. Por isso, resolvi fazer uma listinha sobre as cinco principais transformações que aconteceram na minha vida. 

1. Não sou mais prioridade

Antes, éramos somente eu e o meu marido. Então, praticamente todas as coisas que eu programava durante a semana eram cumpridas. Trabalho, limpeza da casa, horas reservadas para cuidar de mim mesma, receitas que testava na cozinha, saídas no final de semana com o marido: tudo em ordem. Confesso que, por ser metódica, realizar todas as tarefas que eu tinha planejado me dava certo prazer e tranquilidade. Mas com a chegada do bebê, essa liberdade virou uma confusão. Bom, pelo menos até eu me acostumar com a nova rotina e aprender a relaxar com certas coisas que não eram mais importantes. Hoje em dia, se estou com fome, me preocupo primeiro em alimentar o meu filho e depois comer. O sono também se tornou o meu fiel companheiro, pois sempre tenho que acordar para amamentar, ninar e dar colo para a cria. Na categoria de cuidados pessoais, tudo ficou mais difícil. Eu não parei de me arrumar, mas se antes gastava duas horas para ficar pronta – ajeitar o cabelo, fazer a maquiagem, escolher uma roupa para sair – atualmente, faço tudo em 30 minutos e fica muito bom! Nunca imaginei que conseguiria, mas esse é um dos milagres que a maternidade nos proporciona!

2. O ciclo de sono mudou 

A privação de sono era uma grande preocupação, algo que sempre achei que não conseguiria superar, pois sou uma dorminhoca convicta e me sinto bem disposta quando durmo por várias horas seguidas! Como muitas mães, quando eu estava grávida, ouvi a frase clássica (e nada agradável): “durma bem agora porque depois, você não vai mais conseguir”. Não sei se esse é um conselho muito válido, pois fazer “estoque” de sono não resolve o problema das pessoas – pelo menos, não o meu. Mas enfim, os primeiros dois meses (especialmente as duas semanas iniciais) foram bem pesadas por aqui. Gael raramente fazia sonecas e, quando isso acontecia, era depois de mamar, por apenas 10 minutos. Durante esse período, conseguir dormir três horas seguidas era como se eu tivesse descansado por 12 horas. Acordava com disposição e plenamente feliz! Quando o pequeno tinha 2 meses, o seu ciclo de sono se ajustou e ele passou a dormir de verdade – para a minha alegria. Hoje, não posso reclamar (e nem elogiar muito, nunca se sabe quando tudo pode mudar), pois as horas de sono estão normalizadas por aqui. De qualquer forma, fico feliz em saber que consegui passar por essa prova de fogo sem perder a sanidade!

3. Comecei a refletir sobre como gasto o meu tempo

Quando você está disponível para aproveitar o seu tempo com você mesma, ou no máximo dividi-lo com o seu parceiro, é fácil ligar o piloto automático e encarar as atividades diárias sem refletir sobre por que as realizamos. Mas já parou para pensar em quanto tempo você gasta ficando no celular? No computador? Na frente da televisão? Com a chegada do Gael, passei a querer ter tempo de qualidade com ele para aproveitar cada minuto que pudesse, pois crianças crescem muito rápido. Algo que comecei a tentar me policiar é: quando estou com o meu filho, devo estar presente de corpo e alma. É fácil cair na armadilha de ficar mexendo no celular o tempo todo quando passamos o dia cuidando dos nossos pequenos (eu mesma já fiz isso várias vezes), mas comecei a perceber que, enquanto eu teclo ou vejo o mundo pela tela de um smarthphone, o Gael cresce, seu rosto muda, seu sorriso se enche de dentes, ele começa a andar, a falar. No mundo em que vivemos atualmente, é preciso desviar o olhar dos celulares para observar a vida acontecendo. E se tem alguém que tem o privilégio de poder presenciar esse espetáculo de graça, todos os dias, somos nós, mães, certo? Não tem coisa melhor do que se entregar por inteira em uma brincadeira com o filhote, ver um sorriso lindo e poder sentir o seu abraço!

4. As modificações na alimentação 

Eu nunca fui uma pessoa que comia mal ou exagerava demais nas guloseimas e depois que descobri que estava grávida, passei a me cuidar ainda mais. Embora o meu desejo de comer doces tenha aumentado durante a gestação, comecei a prestar mais atenção para não ingerir muita fritura, exterminei o açúcar branco de casa e tentei substituir as outras comidas por alimentos integrais. Mas nada é perfeito. Mesmo querendo ser saudável, quando o Gael nasceu, por conta da privação de sono, comecei a consumir uma xícara de café todos os dias para me manter acordada. Acabei me acostumando com esse hábito e só recentemente consegui eliminar o cafezinho diário da minha alimentação. É claro que, às vezes, eu como coisas que não são saudáveis, mas no dia a dia, tento cuidar para manter um cardápio equilibrado. Isso me ajuda na questão da amamentação e também na alimentação do Gael, que já come alimentos sólidos.

5. Meu repertório e minhas preferências 

Sim, a maioria das mães fala muito sobre assuntos relacionados aos bebês: parto, criação, alimentação, comportamento, fraldas… A lista é infinita! Não é que a gente fica monotemática, mas quando precisamos estudar para uma determinada profissão, nos aplicamos, lemos tudo o que podemos, debatemos assuntos para nos qualificarmos, certo? Ser mãe não é diferente. É algo que dura a vida toda e que exige uma grande dedicação das mulheres. Quando tive o meu filho, me vi caindo nesse clichê de ter o repertório alterado para temas relacionados com a maternidade, mas sinceramente, isso não me importa nem um pouco. Passei a pesquisar tudo o que podia sobre os assuntos que eu tinha dúvidas e ainda faço isso. Há muitas informações por aí (muitas delas contraditórias), mas é maravilhoso poder se preparar para oferecer o melhor a um serzinho que depende tanto da gente. Confesso que, quanto mais aprendo sobre a maternidade, mais me apaixono pelo tema. Hoje, troco qualquer coisa para ter um passeio gostoso com a minha família. Depois que me tornei mãe, minha visão sobre o que é sucesso também mudou bastante. Dedicar a vida a criar, a amar e respeitar alguém está no topo da lista do que é sucesso para mim!”

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s