Prematuros têm mais risco de se tornar adultos introvertidos, diz estudo

Pesquisa britânica apontou que pessoas que nasceram muito cedo são mais propensas a apresentar problemas de relacionamento e sociabilidade.

Por Luiza Monteiro Atualizado em 28 out 2016, 15h50 - Publicado em 10 ago 2015, 15h18

Não bastasse ficar menos tempo no aconchego da barriga da mãe, os bebês prematuros estão expostos a uma série de complicações – logo que nascem e quando se tornam mais velhos. Entre elas estão problemas cardiovasculares e distúrbios cognitivos e comportamentais. Agora, cientistas da Universidade de Warwick, no Reino Unido, constataram que pessoas que nasceram muito antes do tempo têm mais tendência a ser introvertidas.

No estudo – publicado em julho de 2015 em um dos periódicos científicos do renomado British Medical Journal -, 200 indivíduos adultos que haviam sido acompanhados desde o nascimento (que aconteceu entre 1985 e 1986) responderam a questionários sobre suas personalidades. Todos eles chegaram ao mundo antes de 32 semanas de gestação ou pesando menos de 1,5 quilos. Após compará-los com voluntários que nasceram com nove meses de gravidez e com peso considerado saudável, os pesquisadores concluíram que os participantes que saíram da barriga da mãe de forma prematura e aqueles que nasceram com baixo peso apresentavam maior probabilidade de desenvolver uma personalidade introvertida.

Os autores do trabalho britânico atribuem essa relação ao desenvolvimento cerebral das crianças que nascem pré-termo (antes da gestação completar 37 semanas). Outros estudos já demonstraram que, nelas, é mais comum que ocorram más-formações em uma região da massa cinzenta responsável pela sociabilidade. “Isso pode ajudar a explicar parcialmente as dificuldades sociais que esses indivíduos experimentam na vida adulta, tanto nos relacionamentos amorosos quanto na carreira”, analisa o professor Dieter Wolke, líder da investigação.

Os cientistas da Universidade de Warwick acreditam que os achados desse levantamento são importantes para prevenir esse tipo de dificuldade. “Se o problema for identificado cedo, os pais podem aprender técnicas para potencializar as habilidades sociais do seu filho e compensar, assim, certas características de uma personalidade mais introvertida”, acredita Wolke.

Continua após a publicidade
Publicidade