Ministério da Saúde lança política de atenção à saúde da criança

O objetivo é integrar projetos dedicados à primeira infância e aos pequenos de maior vulnerabilidade, como indígenas, quilombolas, ribeirinhos e aqueles com deficiência.

No início deste mês de agosto, o Ministério da Saúde lançou a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança, com o objetivo de viabilizar, de maneira integrada, ações do governo que visam melhorar o atendimento à saúde dos pequenos. A medida contempla as crianças de 0 a 9 anos, com atenção especial àquelas que estão na primeira infância, ou seja, de até 6 anos de idade.

A iniciativa pretende agir em sete frentes: atenção humanizada e qualificada à gestação, ao parto, ao nascimento e ao recém-nascido; aleitamento materno e alimentação complementar saudável; promoção e acompanhamento do crescimento integral da criança; atenção aos pequenos com agravos prevalentes na infância e com doenças crônicas; atenção à criança em situação de violência, prevenção de acidentes e promoção da cultura de paz; atenção à saúde de crianças com deficiência ou em situações específicas de vulnerabilidade (que inclui indígenas, quilombolas, ribeirinhos e aqueles que vivem nas ruas); e, por último, vigilância e prevenção de óbito infantil, fetal e materno.  

“Alguns desses eixos são clássicos da saúde brasileira, para os quais o governo vem desenvolvendo ações desde o século passado; outros estão ligados a demandas mais recentes, da modernidade”, analisa o médico Paulo Bonilha, coordenador de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde. Essa política já era uma exigência de entidades como a Pastoral da Criança, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Na prática

Com a nova política, o Ministério da Saúde pretende melhorar e facilitar o trabalho realizado em cada cidade ou Estado, para que seja oferecido um serviço de saúde de qualidade a todos. “A política sintetiza de maneira simples e clara para os gestores estaduais, municipais e profissionais de saúde, os grandes eixos de ações que compõem uma atenção integral à Saúde da Criança e aponta estratégias e dispositivos para a articulação das ações e da rede de serviços de saúde nos municípios e regiões de saúde”, declarou o ministro da saúde, Arthur Chioro, na data em que a iniciativa foi anunciada.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s