Mãe dá lição para pais que subestimam a tarefa de cuidar de filhos em casa

"Espero que quando esta 'obrigação de ficar em casa' acabar, as pessoas comecem a levar os 'pais que ficam em casa' mais a sério", escreveu Megan.

Com o isolamento social decretado por conta do novo coronavírus, as famílias estão vivenciando uma nova realidade: de ficar em tempo integral com os filhos. Quem antes deixava o pequeno na escolinha de manhã e só o encontrava no fim da tarde, agora enfrenta o desafio de conciliar o trabalho com os cuidados com a criançada – sem contar as tarefas de casa, né?

E é sobre isso que a norte-americana Megan Powell decidiu falar em suas redes. A moradora da cidade de Lakeland, na Flórida, é mãe de quatro filhos e se dedica todos os dias a cuidar dos baixinhos e dos afazeres domésticos. Apesar de tanto esforço, ela confessa que já teve sua função muito subestimada por pessoas que consideravam ficar em casa com os filhos um “privilégio”.

“Ser uma mãe que fica em casa não é tão bom quanto parece, né?”, provocou ela em sua postagem no Facebook. “Agora você entende porque nem todas as coisas estão feitas ou porque a casa não está sempre impecável? Essas crianças fazem bagunça o tempo todo quando ficam em casa o dia inteiro. É impossível fazer tudo o que é preciso quando você está atendendo às necessidades de vários pequenos durante o dia”, escreveu.

Embora a pandemia tenha virado a rotina das famílias do avesso, Megan espera que a situação sirva de lição para os pais que já a criticaram e que a saúde mental de quem fica o tempo todo com os filhos seja levada mais em conta. “Sem mais viradas de olhos quando dissermos que precisamos de interação social. Nada de nos dizer que não deveríamos reclamar de poder ficar em casa com nossas crianças, quando na realidade estamos apenas respirando porque ficar em casa o dia inteiro é mentalmente esgotante”, afirmou. “Espero que quando esta ‘obrigação de ficar em casa’ acabar, as pessoas comecem a levar os ‘pais que ficam em casa’ mais a sério”

A mãe ainda reforça que esses “respiros” não mudam em nada o amor que tem pelos filhos – são apenas momentos fundamentais para o bem-estar de toda relação. “Nós amamos nossas crianças, mas passar um tempo longe das pessoas com quem você vive é vital para seu relacionamento com elas e para a sua saúde mental”, postou.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s