Mãe escreve carta de aniversário para filha com Síndrome de Down

"Não pense que chorei porque estava desapontada, brava ou triste. Eu chorei porque não me disseram o quanto você seria incrível", afirmou Jenna.

Receber o diagnóstico de que o filho tem Síndrome de Down pode causar insegurança e medo em muitos pais. Mas com o tempo, eles percebem o quanto essas crianças são doces e entendem que, com o amor e estímulos, elas podem se desenvolver bem.

Jenna Skidmore é um exemplo disso, pois ela tornou pública uma emocionante carta que escreveu para a filha no seu primeiro aniversário. Na mensagem, a mãe fala sobre o momento em que soube que a pequena tinha essa alteração genética e como as coisas se desenrolaram.

Veja também

“Poucos minutos depois que você nasceu, a nossa maravilhosa parteira me disse que precisávamos fazer o ‘teste de cromossomos’. Naquele momento, eu estava completamente exausta e, para ser sincera, nem ouvi direito. Eu realmente não tinha certeza sobre o que era aquilo, mas acenei com a minha cabeça. Dois dias depois, os resultados deram positivo para a Trissomia 21.  Foi uma grande surpresa“, revelou.

Ela ainda comentou que muitas coisas aconteceram: altos e baixos, noites sem dormir e, é claro, preocupações. E também pediu desculpas para a filha por ter se desesperado no início: “Por favor, não pense que chorei porque estava desapontada, brava ou triste. Eu chorei porque não me disseram o quanto você seria incrível. Eu pensei que não saberia como cuidar de você, mas a única coisa que você precisava de mim era amor…  E leite”.

No final do relato, Jenna disse que se orgulha de ver o filho mais velho Eli apresentando a caçula para todo mundo e revelou que, antes da pequena nascer, ela desejava ter outro menino. “Eu acredito que Deus não me deu o que eu acreditava que queria, Ele me deu o que eu precisava. Feliz primeiro aniversário para a minha doce menina”, afirmou a mãe.

Leia a carta na íntegra:

*Querida Annabelle,

Este ano tem sido um pouco turbulento. Desde que você nasceu, no dia 3 de agosto, aconteceram muitos altos e baixos, noites sem dormir e incontáveis preocupações maternas. Poucos minutos depois que você chegou ao mundo, a nossa maravilhosa parteira me disse que precisávamos fazer o ‘teste de cromossomos’. Naquele momento, eu estava completamente exausta e, para ser sincera, nem ouvi direito. Eu realmente não tinha certeza sobre o que era aquele teste, mas acenei com a minha cabeça e acreditei que Jesse estava prestando atenção por nós dois. Dois dias depois, os resultados deram positivo para a Trissomia 21. Você tem três cópias do seu 21º cromossomo. Foi uma grande surpresa.

Depois de te amar por um ano, posso dizer – agora que a poeira abaixou -, que você e Eli são a minha alegria. Você não é capaz de explicar o amor incondicional, que transborda, até ter os seus filhos. É cansativo e glorioso ao mesmo tempo. O seu primeiro ano não foi fácil, mas não foi por causa do diagnóstico. Foi devido a minha preocupação e ansiedade com o desconhecido.

Eu gostaria de não ter chorado no dia que você nasceu. Eu gostaria de ter conseguido enxergar o nosso futuro. Se eu pudesse ter visto uma polaroid de você no seu primeiro aniversário, esmagando o bolo em sua boca, com o rabo de cavalo loiro e os olhos azuis brilhantes, isso teria acalmado os meus medos. Por favor, não pense que eu chorei porque estava desapontada, brava ou triste. Eu chorei porque ainda não conhecia você. Eu chorei porque não me disseram o quanto você seria incrível e andei lendo artigos médicos com listas de possíveis complicações de saúde. Eu chorei porque não sabia o que era tônus muscular baixo e ecocardiograma. Eu pensei que não saberia cuidar de você, mas a única coisa que você precisava de mim era amor… E leite. Você precisava do seu pai para te balançar e do seu irmão mais velho para te apresentar para as pessoas. Um ano depois, Eli continua te apresentando como sua ‘irmãzinha An-belle para todos.

Antes de você nascer, eu queria ter outro menino. Pensei em colocar o nome de James ou Jonah. Antes de você chegar, eu não teria pensado que queria [um filho] com um cromossomo extra. Eu acredito que Deus não me deu o que eu acreditava que queria, Ele me deu o que eu precisava.

Feliz aniversário para a minha doce menina.

Sempre com amor,

Jenna Skidmore.

* Depoimento publicado originalmente no site The Mighty.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s