9 filmes sobre paternidade com lições de vida para pais e filhos

Dos clássicos da Disney - que você pode assistir com as crianças- até os dramas, confira títulos que reforçam a importância do pai na vida de um filho.

Quantas vezes você não assistiu um filme e ele te ajudou a repensar os rumos da sua própria vida? O cinema tem esse poder de retratar dilemas e tocar bem fundo nas nossas questões individuais. E com um tema tão rico como paternidade, não seria diferente.

Ver ali, estampado na tela, vários desafios enfrentados na criação dos filhos nos mostra que não estamos sozinhos nas nossas dificuldades. São questões que, uma hora ou outra, vão bater na porta de todos. E quem sabe, depois de assisti-los, você não consiga ver com mais carinho a sua própria jornada como pai?

Dos clássicos da Disney – que você pode ver grudadinho aos filhos – até os dramas mais pesados, separamos nove títulos que trazem lições importantes para relembrar neste Dia dos Pais. Separa a cobertinha e vamos lá:

Para assistir com as crianças

Procurando Nemo (2003)

Vamos começar com um clássico sobre os desafios da paternidade. No longa da Pixar, o peixinho-palhaço Marlin cria o filho sozinha depois da morte de sua parceira. Superprotetor, o pai não deixa Nemo ter suas aventuras por medo de que aconteça algo ao filho. Pais que se reconheceram neste enredo, por favor, levantem a mão! Pois é, só que o peixinho acaba sendo pescado e Marlin precisa sair de sua zona de conforto e partir pelo mar afora para salvá-lo. No caminho, ele repensa sua criação, entende que a vida pode ser mais divertida, que amigos podem ajudar e principalmente: que a gente cria os filhos para o mundo. Deu até vontade de assistir pela décima vez!

Onde assistir: Netflix

Rei Leão (1994 / 2019)

Se é clássico cheio de grandes lições que você quer, por favor, dê o play em “O Rei Leão” outra vez. Tanto o desenho de 1994, quanto o live-action de 2019, são uma aula. Logo de cara, Simba aprende com seu pai que a vida é um ciclo e que cada um interfere no destino do outro. “Olhe, Simba… Tudo isso que o sol toca é o nosso reino. O tempo de um reinado se levanta e se põe como o sol. Um dia, o sol vai se por com o meu tempo aqui. E vai se levantar com o seu, como um novo rei”, ensina Mufasa, o pai. 

Em outro diálogo emblemático entre pai e filho, Mufasa ensina também que admitir que sente medo é um ato corajoso, ou seja, tá tudo bem mostrar nossas fragilidades. E mais: que é muito importante descobrir quem nós somos. Simba logo perde o pai – naquela cena que traumatizou nossas infâncias – e aprende sobre luto, resiliência e como seguir em frente levando nossos antepassados conosco na jornada.

Onde assistir: Prime Video Amazon

(E se você ainda não tem Prime Videoclique aqui para assinar.)

Dois irmãos (2020)

Um dos lançamento mais recentes da Disney tem o pai como elo central da trama – e ainda que só “metade” dele apareça no filme, sua presença e importância está toda lá. Dois irmãos elfos levam sua rotininha de adolescentes quando descobrem que o falecido pai deixou um presente especial: um cajado de bruxo capaz de trazê-lo de volta. Numa jornada frenética pra revivê-lo, eles redescobrem conexões familiares que nem sabiam que estavam perdidas.

Onde assistir: Prime Video Amazon

Para assistir depois que eles forem dormir…

Querido menino

Estamos falando sério: é hora de pegar a caixinha de lenços, porque este filme é dolorido. O enredo pode parecer como outro que você já viu: pai tenta salvar o filho das drogas. Só que o trunfo dele está na delicadeza e em uma questão que vai ficar martelando na sua cabeça depois que o filme acabar. Afinal, como aquele menino doce, gentil e brilhante, olhado com tanta atenção pelos pais, amado pelos irmãos e com uma trajetória tão regular na escola foi partindo para drogas cada vez mais letais? (leia a crítica inteira do filme aqui!) Não tem como os pais não ficarem se questionando sobre os rumos que a vida de seus pequenos poderão tomar. Mas aí a lição, pelo menos do filme é: não desistir de estar presente na vida dos filhos, por mais difícil que seja. 

Onde assistir: Youtube Filmes

Peixe Grande e suas histórias maravilhosas

Se você nunca assistiu este filme maravilhoso, faça um favor a si mesmo. O longa de Tim Burton fala essencialmente da relação de um pai e um filho. Will passou a infância escutando as histórias fabulosas vividas por seu pai, Edward. Os dois acabam se distanciando com o passar dos anos e Will guarda com confusão e rancor, os relatos magníficos de seu pai, julgando que ele era um homem que fantasiava muito, mas que se distanciava do real. Só no leito de morte de Edward, ele decide investigar as tais façanhas e finalmente entende que seu pai preferia enxergar a vida vendo o melhor das pessoas e das situações. Mas vamos parar por aqui para que você tire suas próprias conclusões deste final belíssimo e cheio de metáforas poderosas.

Onde assistir: Netflix

A Estrada (2009)

Numa realidade pós-apocalíptica, um pai tenta sobreviver com seu filho numa situação adversa, sem comida, com muita violência e sem valores morais. Cobertos de poeira e arrastando seus poucos itens, eles buscam chegar perto do mar, onde o pai acredita que podem ter uma vida melhor. O filme, baseado no premiado romance de Cormac McCarthy, vai te lembrando como as pequenas coisas da rotina fazem falta – ele lembra com saudade de ter coca-cola na geladeira, por exemplo. E diante desta triste odisseia, vai tentando passar que devemos ter nossos valores, não importa a condição que estejamos inseridos. Prepare-se pra assistir com um crescente nó na garganta…

Onde assistir: HBO Go

À procura da felicidade (2006)

Baseado na história real de Chris Gardner, o longa acompanha um período difícil da vida de um homem e de seu filho de cinco anos (curiosidade: na vida real a criança tinha pouco mais de 1 ano). Abandonado pela esposa, sem emprego e morando na rua, ele tenta dar conta de criar o filho e arrumar um novo trabalho que o tirasse dessa situação. O tocante desta história é que Chris, por mais percalços que o caminho apresente, não se deixa abater e munido de resiliência e esperança, se mantém focado e sem desamparar o filho. Depois que assistir ao filme, dê um google pra você ver o final feliz desta história na vida real.

Onde assistir: Netflix e GloboPlay

Minha vida (1993)

Um filme antigo, mas que sempre surge quando o assunto é paternidade. Feliz com sua carreira e amparado no amor, Bob descobre que terá um filho. Só que junto com a notícia, descobre também que tem um câncer terminal. Só isso já daria um filme bem emocionante. Mas ele vai ainda mais longe: o protagonista decide gravar um vídeo para o filho, contando quem ele é, já que não tem certeza se estará aqui quando o bebê nascer. Durante os emocionante relatos, ele vai registrando suas impressões sobre a vida para que o filho sinta sua presença mesmo sem ele por perto. A dor do protagonista em não poder acompanhar o pequeno, já nos faz repensar o valor de estar presente no crescimento dos nossos filhos.

Onde assistir: Netflix

Capitão Fantástico (2016)

Pai de seis filhos, Ben decide se afastar da cidade e cria, junto com a família, um projeto de vida, onde as crianças são educadas para viver sem precisar recorrer ao sistema capitalista. Num pequeno “paraíso” idealizado, a família recebe a notícia de que a mãe, que estava em tratamento de uma doença grave na cidade, morre. Eles então decidem partir numa jornada para dar o funeral que ela gostaria e se deparam com as problemáticas que esta mudança de ares traz. Vendo o filme, fica difícil não se perguntar se é saudável o modo como vivemos socialmente e também se as nossas idealizações pessoais acabam impostas aos nossos filhos. Independente dos questionamentos, é uma história interessante sobre um pai que acredita muito num modelo de criação, numa busca genuína por criar indivíduos melhores a seu ver.

Onde assistir: NOW

*Caso você decida assinar o Prime Video com o link desta matéria, nós podemos receber uma comissão da Amazon.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s