10 comentários que não devem ser feitos a pais de prematuros

"Nossa, como o seu filho é pequeno!" ou "sabia que ele pode ter sequelas?" são algumas das frases que incomodam - e muito! - pais e mães de bebês que chegaram ao mundo antes da hora. Perguntamos aos nossos leitores quais foram os piores palpites que já ouviram. Confira a seguir (e aprenda com eles).

 

1. “Na próxima vez que ficar grávida, faça um tratamento para isso não acontecer de novo”

. .

. (/)

A chegada antecipada do filho demanda dos pais uma força emocional extraordinária. Imagina ainda ouvir frases como esta? É importante deixar claro que diversos problemas podem contribuir para que um bebê nasça antes dos nove meses – e, na maioria das vezes, eles não acontecem porque a mãe permitiu. Entre os fatores de risco estão a pré-eclâmpsia, o diabetes gestacional, o descolamento de placenta, infecções ou até mesmo uma gestação de gêmeos – ou de múltiplos. Portanto, antes de culpar essa mãe que já está passando por um momento tão delicado, que tal se informar antes de sair dando ~conselhos~ por aí?

2. “Nossa, mas ele é pequeno para a idade, né?”

. .

. (/)

Em geral, os prematuros nascem, sim, pesando menos do que o ideal para a sua idade gestacional. No entanto, ao longo dos dois primeiros anos de vida, eles tendem a recuperar as medidas de peso e altura, sabia?

3. “Seu filho é normal?”

. .

. (/)

Para começar, isso não deve ser dito a NENHUMA mãe! Além disso, embora os prematuros estejam expostos a uma série de complicações de saúde e de desenvolvimento, isso não significa que sejam anormais. Por sinal, “normal” ou “anormal” para quem? Esse tipo de adjetivo não faz parte do vocabulário materno!

4. “Tomara que ele sobreviva!”

. .

. (/)

Tomara mesmo! Mas vamos concordar: isso não é algo legal de se dizer a uma mãe que está fragilizada, passando seus dias em uma UTI neonatal, sem poder ter o mesmo vínculo que uma mãe que leva seu filho para casa logo após o nascimento. Em vez disso, ofereça apoio, conforto e ajude a renovar as esperanças dela, afirmando que tudo vai dar certo!

5. “Sabia que seu filho pode ter sequelas por ter nascido prematuro?”

. .

. (/)

É verdade que os prematuros são mais propensos a ter problemas respiratórios, cardíacos, imunológicos, intestinais e até neurológicos. A longo prazo, eles têm mais risco de apresentar atrasos no desenvolvimento cognitivo. Contudo, apesar de tudo isso ser muito preocupante, talvez não seja o melhor a ser dito a uma mãe que está insegura e com medo. Que tal recomendar que o seu filhote faça um acompanhamento multidisciplinar para que eventuais problemas sejam devidamente diagnosticados? Assim, ela obtém de um profissional as orientações corretas. 

6. “Cuidado, é um bebê frágil!”

. .

. (/)

De fato, o prematuro é um bebê que requer mais atenção. Mas tenha cuidado ao dizer isso na frente dos pais, pois pode dar a ideia de que seu filho é mais fraco do que os outros – e tudo o que eles querem nesse momento é que esse bebê se fortaleça e possa crescer como outra criança qualquer.

7. “Pra quê tanto cuidado assim? Visitas fazem bem a um bebê!”

. .

. (/)

No caso dos prematuros, não é bem assim. Por terem um sistema imunológico ainda muito imaturo, o melhor é evitar que estejam em meio a muitas pessoas. Isso porque, se estiverem gripadas ou com algum outro tipo de infecção, elas podem passar a doença para o pequeno – que tende a manifestar uma versão bem mais grave da enfermidade.  

8. “Quanto ele já está pesando?”

. .

. (/)

Você precisa mesmo saber disso? O prematuro ganha peso aos poucos e, acredite, cada grama a mais na balança é uma vitória para os pais.

9. “Não chore…”

. .

. (/)

Imagine só: você sonha em ser mãe, engravida, vê sua barriga crescer e, do nada, ao invés de levar seu bebê para casa, tem que vê-lo em uma UTI neonatal por apenas algumas horas no dia. Sem contar que, depois do parto, é comum a mulher apresentar um estado de melancolia, o baby blues. Portanto, é completamente normal e aceitável que ela chore. Procure entender a situação e oferecer um ombro amigo. 

10. “Não se preocupe, tem casos piores…”

. .

. (/)

Jamais faça comparações. Uma situação pode não ser a mais grave já vista, mas para aquela pessoa ela é dolorosa o suficiente. Portanto, cabe a você apenas respeitar esse momento – e uma declaração dessas, acredite, não vai melhorar nada!

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s