SBP lança campanha para diminuir mortalidade de recém-nascidos

Nascimento Seguro frisa a importância do pediatra no parto e de medidas simples que ajudam a garantir a saúde do bebê, mas nem sempre são praticadas.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) apresentou nesta semana a campanha Nascimento Seguro, iniciativa que visa promover boas práticas durante o parto. O objetivo principal é reduzir a mortalidade neonatal no Brasil, que hoje é de 9,9 a cada mil nascidos vivos. Para se ter ideia, estamos na 108º colocação no ranking da Unicef, entidade da Organização das Nações Unidas (ONU), de melhores países para se nascer no mundo.

A própria Unicef calcula que até 80% dessas mortes poderia ser evitada com cuidados básicos, como a presença de mais profissionais treinados, acesso a insumos como água limpa e desinfetante, além de práticas como amamentação dentro da primeira hora, contato pele a pele entre mãe e bebê e boa nutrição.

No texto que anuncia a campanha, a SBP diz que a meta principal é conscientizar tanto gestores quanto profissionais de saúde e famílias sobre a importância da presença do pediatra na equipe que acompanha o parto, seja ele normal ou cesárea, especialmente no caso dos prematuros, que estão mais sujeitos às complicações. Mesmo antes disso, o especialista na saúde infantil deve ser escolhido e acionado já no pré-natal.

Veja também

“O pediatra é o especialista que recebe o treinamento específico para cuidar da criança, por isso sua presença é indispensável”, explica Maria Albertina Santiago Rego, secretária do Departamento Científico de Neonatologia da SBP. Só que, com o tempo, ele foi sendo substituído por outros profissionais, como enfermeiros e médicos de outras especialidades, na assistência imediata ao recém-nascido”, completa a médica.

Outro ponto importante destacado é que a desigualdade social impacta e muito na saúde do recém-nascido. Segundo a entidade, bebês de famílias mais pobres têm uma chance 40% maior de falecer do que os nascidos em famílias de maior renda. Cabe, portanto, também aos administradores da saúde pública garantir os recursos mínimos para o nascimento seguro, como leitos de UTI neonatal e itens de higiene e desinfecção.

Veja também

Veja a seguir as recomendações da campanha:

  • Estimular o contato pele a pele entre mãe e bebê logo após o parto, inclusive em prematuros, para reduzir o estresse materno, incentivar a amamentação e o desenvolvimento adequado da criança.
  • Mães e pais devem tirar dúvidas com o pediatra antes do nascimento.
  • Normalmente, o ideal é marcar uma consulta com o pediatra no terceiro trimestre de gestação.
  • Fazer cesariana somente por recomendação médica, não escolha pessoal.
  • Garantir no momento do parto exames físicos básicos feitos por um pediatra para checar a saúde do bebê.
  • A gestante tem o direito de ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar, que esteja capacitada para realizar manobras ressuscitação neonatal se for preciso.
  • O bebê deve ser amamentado imediatamente após o nascimento sempre que possível.
  • Garantir o direito de um acompanhante para tranquilizar e apoiar a gestante durante o parto.
  • Clampear o cordão umbilical só depois de alguns minutos quando viável.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s