Adele desabafa sobre depressão pós-parto

"Sentia que tinha feito a pior decisão da minha vida. Não falei com ninguém sobre isso", revelou a cantora, que é mãe de Angelo, de 4 anos.

Depressão pós-parto é um problema que atinge mais mulheres do que você imagina – para se ter uma ideia, só no Brasil cerca de 26% das mães enfrentam esse quadro de tristeza profunda durante o puerpério. No entanto, embora seja algo comum, especialmente entre as mães de primeira viagem, o assunto continua sendo tabu. Muitas mulheres costumam se sentir envergonhadas por estarem infelizes num momento tão especial e acabam sofrendo caladas – o que só potencializa a angústia!

Com o intuito de incentivar mais mamães na mesma situação a procurarem ajuda, Adele quebrou o silêncio e resolveu admitir que também teve depressão pós-parto após o nascimento do filho, Angelo. O pequeno já completou quatro anos de idade, mas a cantora nunca havia falado sobre o assunto publicamente. O desabafo aconteceu numa entrevista que ela concedeu para a edição de dezembro da revista Vanity Fair.

 

“Um dia eu disse a uma amiga ‘eu odeio isso pra caramba’ e ela simplesmente começou a chorar e disse ‘Eu também odeio isso’. E foi assim. Meu conhecimento sobre depressão pós-parto ou pós-natal, como a chamamos na Inglaterra, é que você não quer estar com seu filho; você tem medo de machucar seu filho; você tem medo de não estar fazendo um bom trabalho. Mas eu estava obcecada pelo meu filho. Eu me sentia muito insuficiente, inadequada. Eu sentia como se tivesse feito a pior decisão da minha vida… Ela [a depressão pós-parto] pode vir de muitas formas diferentes“, explicou.

Eu amo meu filho mais do que tudo nessa vida. Mas, todo dia, se eu tenho um ou dois minutos, eu fico pensando em como seria bom se eu pudesse simplesmente fazer o que eu quisesse na hora em que eu quisesse. Eu me sinto assim todo dia.

Adele

A britânica disse que não chegou a tomar antidepressivos por conta da depressão pós-parto e que, na época, não conseguiu se abrir com amigos e familiares sobre o problema que estava enfrentando. “Não falei com ninguém sobre isso. Era muito relutante”.

Adele também contou que essa não é a primeira vez que sofre com depressão. “Eu tenho um lado muito sombrio. Sou muito propensa à depressão. Eu posso entrar e sair dela facilmente. Começou quando meu avô morreu, eu tinha uns 10 anos. Apesar de eu nunca ter tido pensamentos suicidas, fiz muita terapia”. Hoje, ela garante que não pretende ter mais filhos, pois Angelo já tem um meio-irmão (por parte do pai Simon Konecki, marido da cantora) e por conta do medo de que a depressão possa voltar a dar as caras.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s