Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Colunistas

Você e os desenhos do seu filho

Tita Belliboni* Atualizado em 02.12.2011

A criança usa a arte para se manifestar. Mais do que isso, por meio dela treina sua coordenação visual e motora e descobre de um jeito delicioso um mundo novo – um mundo tão gostoso de explorar e tão rico para ela quanto para nós. Nessa exploração, devemos funcionar apenas como espectadores do processo criativo que nos ajuda a decifrar a caixa de surpresas que é a mente do pequeno artista. E não podemos nos esquecer de que uma criança – ainda mais as menores de 5 anos – vive entre a realidade e a fantasia.

 

Quando ela desenha, está envolvida e encantada com sua própria criação, com cada traço, cada cor, cada forma. Começa a compreender algo muito importante: que ela é capaz de realizar alguma coisa! Por isso, é tão fundamental que você não a limite nesse momento. Não a interrompa. Não interfira nas suas escolhas enquanto ela cria.

 

Também é proibido dar um “jeitinho” para o desenho ficar mais bonito. Ora, bonito para a criança é o que ela já fez! Portanto, não coloque um rabo tentando consertar um cavalo sem rabo. Aliás, nem faça aquela cara de estranheza indagando por essa parte do corpo quando ela contar que representou o animal. Se, para ela, cavalo não tem rabo, não há erro. Nada de errado com a criança. Nem com o cavalo. Naquele momento, o bicho está simplesmente completo na sua cabecinha. Quando amadurecer um pouco, seus desenhos poderão ter mais coerência. A questão primordial aqui é você respeitar a imaginação do seu filho e todas as suas possibilidades. Melhor ainda é valorizar os trabalhos que ele realiza, embora não seja preciso convencer o seu pequeno de que ele seja um Di Cavalcanti. Basta permitir que seu artista encontre uma chance para existir e, mais do que tudo, sentir o prazer de criar e de descobrir.

 

Em tempo: quando uma criança presenteia alguém com um desenho – ou com a mais desengonçada das esculturas –, precisamos mostrar admiração e cuidado com a sua obra. Não há criança, por exemplo, que não fique orgulhosa quando o adulto coloca seu trabalho num quadro ou num pequeno porta-retrato. É uma forma de aprovação e carinho, sim. Mais do que isso, é um grande incentivo. Ela recebe essa mensagem positiva e aprende a dar valor às coisas que alguém realiza – uma lição e tanto. Finalmente, lembre que o desenho de uma criança é também a chance de conhecer seus pensamentos e passear com ela pelo seu mundo da Lua. Então, aproveite.

 

Colunista

Tita Belliboni

Luciana Belliboni, que tem o carinhoso apelido de Tita, é pedagoga  e apresentadora da versão brasileira da série Doces Momentos, do canal Discovery Home & Health


Recomendamos Para Você

Rede MdeMulher
Publicidade