Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Comportamento

Os significados do batizado

Patrícia Cerqueira e Mônica Brandão Atualizado em 16.01.2012
Os significados do batizado

Getty Images

O batizado é muito celebrado pelas famílias do Brasil, o maior país católico do mundo, segundo o IBGE. Mas, você conhece os significados desse ritual?

A importância dos padrinhos

 

1. Qual as funções e o papel atribuídos ao padrinho e à madrinha durante o batizado?

 

Na celebração do batismo, o padrinho e a madrinha se comprometem a acompanhar a criança em seu crescimento na vida cristã. “Podemos traduzir as palavras padrinho e madrinha ‘como pais na fé´”, explica padre Antonio Aparecido Pereira, pároco da Igreja Nossa Senhora das Dores, no bairro da Casa Verde, em São Paulo, e vigário episcopal para as comunicações da Arquidiocese de São Paulo. Padre Antonio, mais conhecido como padre Cido, explica que, no início da cerimônia de batismo, o padre exige dos pais o compromisso de educar o filho ou a filha na fé. E do padrinho e da madrinha exige o compromisso de ajudar o afilhado, com a palavra e com o exemplo, a viver sua vida cristã.

 

2. O que os padrinhos representam e qual a sua responsabilidade na vida da criança?

 

Representam o exemplo a ser seguido na fé cristã. Cabe aos padrinhos, tanto quanto possível, acompanhar o afilhado na iniciação cristã, juntamente com os pais. Segundo padre Cido, como os padrinhos têm a responsabilidade de ajudar os pais a educar os filhos na fé, a Igreja adverte aos pais que sejam criteriosos na escolha. “Eles não devem fazer dessa opção uma homenagem a amigos ou, pior, uma forma de visar algum benefício para os filhos ou se deixarem explorar politicamente, fato comum no coronelismo do Nordeste brasileiro.”

 

3. Quais documentos são necessários para se tornar padrinho?

 

Apenas o comprovante dos encontros preparatórios, como são chamados, agora, os cursinhos de batismo.

 

4. Os padrinhos precisam ter sido batizados?

 

Sim. Devem ser católicos, fiéis aos preceitos da Igreja e terem 16 anos completos ou maturidade suficiente para assumir tal responsabilidade.

 

5. Pessoas divorciadas podem se tornar madrinhas?

 

O Diretório do Sacramento na Arquidiocese de São Paulo não toca no assunto. Mas, como cada padre tem liberdade para determinar algumas regras para a cerimônia do batismo, podem existir paróquias pelo Brasil que exigem dos padrinhos o comprovante de casamento na Igreja. Os pais do batizando deve conversar com o padre e perguntar sobre as exigências para a realização do sacramento.

 

6. Pessoas vinculadas a outras religiões podem ser padrinhos?

 

Não. Mas podem servir de testemunha cristã do batizando. Caso um dos pais não seja católico, a criança pode ser batizada, desde que a parte não católica assine um documento autorizando o filho a receber o sacramento. “Aqueles que solicitam têm o direito de ser batizados. Todo padre é proibido pela Igreja de se recusar a dar o sacramento do batismo. Ele pode adiar a celebração se perceber que os pais necessitam refletir um pouco mais sobre a decisão de batizar filho”, explica o padre.

 

7. Os padrinhos devem fazer o curso de batismo ministrado na igreja? Quanto tempo dura o cursinho? Costuma ser agendado para finais de semana? Qual o prazo de validade do certificado desse curso?

 

Segundo padre Cido, a Igreja está pedindo às comunidades que não se fale mais em curso de batismo, mas em encontros preparatórios. Ele explica que, caso os padrinhos já tenham participado de um encontro preparatório, que conversem com o padre e peçam para ser dispensados. “Entretanto, a participação é um gesto de carinho com o futuro afilhado ou afilhada e os futuros compadres”, acredita o padre. Ele explica que cada paróquia determina a dinâmica dos encontros preparatórios e a validade do certificado. “Na minha paróquia, ele ocorre em uma noite de sábado”, diz Cido.

 

8. Que idade a criança precisa ter?

 

Não há limite de idade.

 

Os detalhes do ritual

 

Qual o significado do...

 

...Batismo?

 

Padre Cido explica que o batismo é o sacramento que torna a pessoa um Filho de Deus, Discípulo de Cristo, Templo do Espírito Santo, Membro da Igreja. “É o primeiro dos sete sacramentos, a porta de entrada para a vida cristã. Não se recebe nenhum outro sacramento sem o batismo”, diz o religioso.

 

...Da unção da cabeça do bebê, com óleo, pelo padre?

 

“O padre unge o peito de cada criança que está no colo da madrinha com o óleo dos catecúmenos, pedindo que a força de Cristo penetre na vida dela, como aquele óleo, em seu peito.”

 

...Da vela que costuma ser carregada pelo padrinho?

 

“No momento do batizado, a madrinha segura a criança e o padrinho fica ao lado. E, após o ritual, o padrinho entrega simbolicamente uma vela acesa à criança, dizendo: `Recebe a luz de Cristo´. Essa vela grande é o Círio Pascal, que simboliza Cristo, a luz do mundo.”

 

...Da imersão parcial, em água, na pia batismal?

 

É a confirmação de que a criança está sendo batizada. Ela é levada pela madrinha à pia batismal, o padre derrama água em sua cabeça e diz: eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

 

...Da roupa branca?

 

Ao final da cerimônia, o padre lembra que, pelo batismo, a criança recebeu a vida nova da graça simbolizada naquela veste branca.

 

Dez dicas para o batizado ser um sucesso

 

Como todo evento importante, o batizado merece atenção, nos detalhes, para dar certo:

 

1. Escolha a paróquia de sua preferência e se informe sobre quando são realizados os batizados e com quanta antecedência precisa ser agendado. Isso varia de acordo com o lugar. Não deixe para a última hora! Verifique também se a cerimônia será coletiva ou individual.

 

2. Confirme quais documentos são necessários – os seus e os da criança. A certidão de nascimento do bebê é obrigatória. Alguns padres pedem a certidão de casamento dos pais no religioso e outros não. Em caso de casamento inter-religioso, a parte não católica deve assinar um documento chamado cautela, autorizando o batizado do filho.

 

3. Organize a vida dos padrinhos. Eles precisam participar dos encontros preparatórios (cursinhos de batismo) e separar a documentação necessária.

 

4. Escolha o fotógrafo ou o cinegrafista e combine que imagens você quer para lembrar esse dia tão importante.

 

5. Batizado é uma festa para a família e os amigos íntimos. Por isso, o convite pode ser informal, feito por e-mail ou telefone. É legal avisar com, pelo menos, 15 dias de antecedência.

 

6. Escolha a roupa do bebê. Tradicionalmente, ela é oferecida pela madrinha, mas isso não é obrigatório. O modelo deve ser branco (a cor faz parte do ritual) e ter uma abertura frontal, já que o padre precisa ter acesso fácil ao tórax da criança na hora da unção.

 

7. Chegue à igreja com meia hora de antecedência, no mínimo, e peça que os padrinhos façam o mesmo.

 

8. As mamadas do bebê devem ser planejadas nesse dia, já que a cerimônia de batismo demora entre 45 e 60 minutos, dependendo do padre e da paróquia.

 

9. Quer oferecer lembrancinhas aos convidados? Então aguarde até o fim da cerimônia para entregá-las e agradecer a presença na porta da igreja.

 

10. É simpático oferecer um café da manhã ou um brunch após a cerimônia, já que a maioria dos batismos acontece na parte da manhã.

 

Outros rituais do Batismo entre as religiões cristãs

 

Entre as religiões cristãs, a cerimônia de batismo geralmente segue os mesmos rituais:

 

• A criança é apresentada pelos pais, geralmente acompanhada por padrinhos.

 

• O celebrante, então, pergunta: “Que nome vocês escolheram para a criança?” Os pais respondem e assumem o compromisso de educá-la no amor de Deus e no amor ao próximo.

 

• Faz-se a Oração Batismal sobre a água que será usada no ritual, destacando seus significados para a Igreja: criação, purificação, libertação, morte e ressurreição.

 

• Os pais passam a criança para os braços dos padrinhos. Enquanto eles a seguram, o celebrante pronuncia solenemente a Fórmula Batismal: “(Nome da criança), eu batizo você em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, e derrama água sobre a cabeça do pequeno, geralmente três vezes.

 

• O celebrante toma a criança nos braços, ora por ela e a apresenta à comunidade como parte integrante do corpo de Cristo. Em seguida, a devolve aos braços dos pais e os convida a tomarem assento na assembleia.

 

Mas, segundo o Reverendo Luiz Carlos Ramos, teólogo, pastor metodista e professor de Liturgia na Faculdade de Teologia da Universidade Metodista, existem outros ritos e elementos simbólicos, que podem fazer parte da cerimônia:

 

• Apresentação – Pode ser seguida de um ato de unção, com óleo, na testa da criança, simbolizando o Amor, a marca do cristão.

 

• Vestição – Ela acontece após o Rito da água e é o momento em que a criança é vestida com um traje branco, simbolizando o novo nascimento e o revestimento de Cristo.

 

• Rito do Efatá – Repetindo o gesto de Jesus, que, ao tocar o ouvido de um surdo, disse: “Abre-te”. O celebrante roga a Deus que o Senhor Jesus abra os ouvidos da criança, para reconhecer a Sua Voz em meio a tantas vozes, e, em meio às muitas palavras humanas, a Palavra de Deus.

 

• Rito do Sal – A mãe coloca uma pitada de sal nos lábios da criança, lembrando a passagem bíblica na qual Jesus diz: “Vós sois o sal da terra” (Mateus 5.13).

 

• Rito da Luz – Geralmente, os padrinhos entregam aos pais da criança um castiçal com uma vela acesa, simbolizando que Cristo, a luz do mundo, está entre nós e que nós temos a incumbência de sermos igualmente luz para o mundo.

 

• Rito do sopro do Espírito – O celebrante repete o gesto de Cristo, que, ao se apresentar ressuscitado aos discípulos, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito; paz seja convosco” (João 20.22).


Rede MdeMulher
Publicidade