Receba newsletters grátis!

Faça o cadastro e receba por e-mail informações sobre sua gravidez e filhos

  • Gravidez
  • 1º ano
  • 2º ano
  • 3º ano
  • 4º ano
  • 5º ano
  • 6º ano

Navegue pela linha do tempo do seu filho

Família

O peso da idade

Rachel Campello Atualizado em 26.04.2012
o-peso-da-idade
Getty Images

A partir dos 35 anos, a probabilidade de gestação é bastante diminuída. Quanto mais o tempo passa, mais difícil é de engravidar. Entenda o motivo

A natureza é implacável com as mulheres. Se por um lado o corpo feminino foi arquitetado para conceber, por outro, torna cada vez mais difícil engravidar com o passar dos anos. O que ocorre é o seguinte: por volta da 20ª semana de gestação, quando a mulher ainda está no útero da mãe, ela possui aproximadamente 7 milhões de óvulos. Assim que nasce, vinte semanas depois, esse número já baixou para 2 milhões. E, quando essa menina tem a primeira menstruação, o total fica em torno de 400 mil.

 

Em cada mês, independentemente de menstruar ou não, o ovário segue eliminando algo em torno de 1000 óvulos. Com o passar do tempo, a qualidade deles também se deteriora. É por isso que a vida reprodutiva da mulher é limitada, explica o médico Edson Borges Jr., diretor científico do Centro de Fertilização Assistida Fertility, em São Paulo. A partir dos 35 anos, segundo Edson Borges, a probabilidade de gestação é bastante diminuída. A nossa recomendação, nesse caso, não é para engravidar cedo. Mas aconselhamos que elas tenham consciência de que, ao adiar a gestação, essa terá menos chance de acontecer.

 

Mas se todos os obstáculos forem superados e a mulher engravidar, é bom saber que a probabilidade de erros genéticos e alterações cromossômicas, como a síndrome de Down, é alta. Para uma mulher de 30 anos, o risco é de 1 para cada 1000 bebês. Na mulher de 40 anos, o número é de 1 para cada 150.

 

Já os cuidados com a gravidez tardia, se ela estiver transcorrendo normalmente, seguem a mesma cartilha do pré-natal convencional: consultas mensais e, no mínimo, três ultra-sonografias durante os nove meses. Para a tranqüilidade do casal, alguns médicos sugerem fazer a biópsia do vilo corial na 10ª semana da gestação. O exame consiste em retirar células da placenta, por uma agulha guiada por ultra-som, para análise. É importante ressaltar que existe um risco de abortar após o exame.


Rede MdeMulher
Publicidade