Como é a gravidez no inverno

A gestação na temporada de frio tem suas vantagens e desvantagens. Saiba quais são elas e o que fazer para se manter protegida.

Na estação mais fria do ano, a tendência é que os enjoos e os inchaços incomodem menos a gestante. Por outro lado, o risco de a futura mamãe pegar uma gripe ou até desenvolver pressão alta é maior, sabia? Conversamos com especialistas para entender o que está por trás dessas alterações e o que a grávida deve fazer para curtir o friozinho (e os nove meses) sem complicações. Confira a seguir:

Menos enjoos

Calma: não estamos falando daqueles enjoos típicos do primeiro trimestre de gravidez, causados pela ação da progesterona nessa fase. Esses acontecem independentemente de qualquer estação! O que ocorre no inverno é que a tendência de a gestante sentir aquele mal-estar provocado pelas altas temperaturas é menor. “Na segunda metade da gravidez, uma das causas de enjoo é a queda da pressão arterial. E no calor, as mulheres costumam ter mais pressão baixa”, explica Rômulo Negrini, professor de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Sono de melhor qualidade

Dormir no verão é uma das coisas mais incômodas da vida – aquela sensação de abafamento não deixa o sono vir de jeito nenhum! Quando isso acontece na reta final da gravidez, então, pior ainda. Daí porque dormir no inverno é muito mais fácil do que na estação mais ensolarada. “No frio, a sensação de bem-estar é maior do que no calor”, comenta Negrini. É claro que o peso da barriga e a falta de posição vão incomodar do mesmo jeito, mas não ter que lidar com aquele calorão já é de grande ajuda, não é mesmo?   

Adeus, inchaços!

Na temporada de calor, os vasos sanguíneos se dilatam, o que faz com que o líquido que está lá dentro extravase, causando o inchaço. Já no frio, os vasos se encontram mais comprimidos, para que não haja tanta perda de calor. E o resultado é um corpo menos inchado. Maravilha!

Pressão nas alturas

A constrição dos vasos que acontece no tempo frio tem seu lado positivo ao reduzir os edemas – mas ela também tem desvantagens. A principal delas é o aumento da pressão arterial, que acontece exatamente porque o sangue fica comprimido dentro dessas estruturas. “O inverno é a época do ano com maior incidência de pré-eclâmpsia“, destaca o docente da Santa Casa.

Maior exposição a doenças respiratórias

É na estação mais fria que problemas como gripe, pneumonia, bronquite e sinusite dão as caras. E a gestante não só tem mais riscos de sofrer com as complicações dessas enfermidades como está mais propensa a desenvolvê-las. Isso porque além de contar com um sistema imunológico defasado, a grávida apresenta mucosas mais inchadas, o que pode dificultar a drenagem de secreções e favorecer, assim, a instalação de vírus e bactérias no organismo.

Mais vontade de fazer xixi

Com as baixas temperaturas do inverno, o corpo transpira menos. Com isso, a perda de líquidos acontece menos pelo suor e mais pela urina. Ou seja: é xixi atrás de xixi. E nem pense em ficar segurando! “A grávida tem mais probabilidade de ter infecção urinária, então ela precisa ir ao banheiro cada vez que tiver vontade”, alerta o ginecologista e obstetra.

Pele sem manchas… e seca!

Durante a temporada de frio, a exposição ao sol tende a ser menor, o que diminui o risco de manchas aparecerem na pele. Mas, ainda assim, a gestante precisa se proteger. “Devido ao aumento dos hormônios, a grávida tem uma predisposição maior para desenvolver melasma“, revela a dermatologista Flávia Ravelli, do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo. A dica da especialista é apostar no protetor solar com fator 50 e, de preferência, com cor, que também ajuda na prevenção de marcas.  

Outro ponto de atenção com a cútis no inverno é a hidratação, já que a tendência é que ela fique mais ressecada. “A coceira causada pela pele seca pode causar feridas, que são uma porta de entrada para fungos, vírus e bactérias”, avisa Ravelli. E cuidado: banhos quentes e muito demorados só agravam essa secura. Portanto, prefira passar menos tempo no chuveiro e, se possível, mantenha a água morna.

Quanto ao uso de hidratante, a orientação é passá-lo duas vezes ao dia no corpo todo; quando a barriga estiver maior, lambuze áreas como barriga, coxas e mamas mais vezes, para evitar estrias. “O ideal é que todas as grávidas sigam essa recomendação, mesmo as que não têm pele ressecada”, aconselha a médica. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s