“Por que eu compartilho fotos do meu filho com Síndrome de Down”

No Instagram, Rafaela Monteiro divide com os seguidores os avanços e descobertas do carismático filhote.

Quando o sonho de se tornar mãe virou realidade, Rafaela não conteve a alegria. Depois de dar à luz Luiz Henrique, que nasceu prematuro, ela descobriu que seu pequeno tinha Síndrome de Down. Confusa e perdida, Rafaela Monteiro passou por uma fase de aceitação até enxergar tudo de outra forma e entender que sua vida tinha mudado, mas para melhor. Para compartilhar os avanços do filhote e encorajar outras mães, criou a conta @meuladomaterno no Instagram, onde posta uma foto mais linda que a outra. Conheça essa história!

“Eu sempre sonhei com a maternidade. E quando tudo aconteceu, me senti a mulher mais feliz do mundo! Ser mãe sempre foi algo que eu quis muito, até mesmo antes de me casar. Quando eu me casei, já queria engravidar em seguida, mas essa decisão não partia só de mim, mas sim de nós. O momento certo só aconteceu porque o meu marido, que sempre teve os pés no chão, pediu um pouco mais de tempo, até que estivéssemos no momento ideal para realizarmos o nosso sonho. Até porque éramos recém-casados e precisávamos nos estruturar para a chegada do nosso pequeno.

Então, três anos se passaram e, finamente, chegou a hora de compartilhar a mesma vontade e realizar o nosso sonho. Eu me lembro de quando nos sentamos para decidir se era o momento certo para acontecer. Foi uma conversa longa e a reposta foi ‘SIM’ das duas partes. Um mês depois eu já estava grávida e descobrir a gestação foi um dos momentos mais lindos da minha vida. Como mulher, me sentia realizada!

A desconfiança de que eu estava grávida surgiu no quarto dia de atraso da minha menstruação. Comentei com algumas amigas que me aconselharam a esperar mais alguns dias para fazer o teste de farmácia, mas como eu sou muito ansiosa, não me contive e comprei um teste. Foi muito difícil dormir naquela noite, a ansiedade tomou conta de mim. Na manhã seguinte, fiz e vi as duas listras vermelhas. POSITIVO! Fiquei paralisada de alegria. ‘EU ESTOU GRÁVIDA!’.

Logo contamos para os nossos familiares que moram em Mato Grosso e a alegria foi contagiante. Os meses se passaram e a minha gravidez foi muito tranquila. Eu e meu marido estávamos tão ansiosos que, com dois meses de gestação, os móveis do quarto do bebê já estavam prontos! Como até então não sabíamos o sexo, fizemos tudo branco. Nós sempre compartilhamos a mesma felicidade.

Com oito meses de gravidez, a bolsa estourou. O Luiz nasceu com 35 semanas por meio de uma cesariana muito tranquila. Depois do seu nascimento, só tive tempo de ouvir seu choro e sentir o seu calor em meu rosto para tirar a foto daquele tão sonhado momento. Logo depois, levaram meu filho para a UTI, pois ele era prematuro. Só pude vê-lo no dia seguinte, quando meu marido me levou de cadeira de rodas para o encontro tão esperado com o meu bebê. Porém, enquanto eu tinha nosso filho nos braços, a geneticista foi chegando de mansinho e começou a me falar sobre os olhos amendoados do Luiz Henrique.

Eu estava confusa, dizia que os olhos dele eram ‘puxados’ iguais aos do pai. Foi aí que ela explicou que os olhos dele eram amendoados e que, pelas características apresentadas, havia a suspeita de Síndrome de Down. A notícia foi um choque. Fiquei parada por alguns segundos, perdida em vários pensamentos e tentando entender o que ela tinha me falado.

Pedi para voltar ao quarto, naquele momento confuso eu só queria gritar, chorar e entender o que eu tinha ouvido. A médica me pediu para ter calma, mas quando eu vi, já estava chorando sobre meu filho. Foi então que ele segurou meu indicador e, com um olhar sereno, olhou dentro dos meus olhos como se estivesse tentando me dizer ‘Oi, mamãe. Eu sou o Luiz Henrique e preciso de você!’.

Imediatamente, caí no choro. Fui para o quarto transtornada, mas logo em seguida avisei minha irmã e o apoio da família foi imediato. Meu marido já sabia antes de todo mundo, ele foi comunicado pela médica logo após o parto e se manteve firme e forte para me apoiar. Sim, eu chorei muito. Até então esse era um assunto totalmente desconhecido da minha parte. Mas depois que todo aquele período que eu chamo de ‘fase da aceitação’ passou, eu conheci o verdadeiro o amor da minha vida, aprendi o significado do viver!

E sei que Deus, sabiamente, tinha a certeza de que eu seria uma mãe incrível para o pequeno Luiz Henrique. Como eu sempre digo e repito: fui escolhida para ser a mãe dele. Foi por pensar assim que tive vontade de compartilhar, de dividir cada descoberta, cada fase sobre ter um filho com Síndrome de Down. Comecei a fotografar momentos divertidos e a postá-los no perfil do Instagram @meuladomaterno, como seu primeiro sorriso, quando ele aprendeu a se virar, a ficar sentado, quando nasceu seu primeiro dente… Todas as suas descobertas.

Para mim, dividir conhecimentos sobre a Síndrome de Down é o mais importante. Os seguidores foram aumentando e eu só tenho a agradecer pelo imenso carinho por todos nós! A minha história não só ajuda outras mamães, como elas me ajudam também!

O Instagram é uma forma de mostrar às pessoas que nascer com Síndrome de Down não é um bicho de sete cabeças, como muitos ainda pensam. Meu objetivo é mostrar que ser diferente é normal, que eles são capazes de tudo! E que os estímulos são fundamentais para o desenvolvimento de uma criança com SD – quanto mais cedo começar, melhor!

O desenvolvimento do Luiz Henrique está melhor a cada dia. Ele me encanta e me surpreende diariamente com sua inteligência e vontade de aprender. O que eu espero para o futuro é que ele se torne um homem completamente sociável, amável, independente, que consiga realizar seus sonhos como qualquer pessoa. Que ele seja amado por todos e que ame bastante também! Ele é o amor em pessoa!

Para as mamães que acabaram de descobrir a Síndrome de Down, meu conselho é: não se desesperem! Eu sei que pode parecer difícil entender isso tudo, mas eu passei por esse mesmo momento confuso e hoje sou completamente feliz. Mudei meu pensamento e consigo enxergar o mundo com um outro olhar.

Se você quiser chorar, chore. Mas uma coisa eu digo: todos esses pensamentos hão de sumir e novos irão surgir. Você ganhou um anjo lindo de Deus e que vai te surpreender cada vez mais. E a cada descoberta você sentirá uma vontade imensa de soltar fogos e de mostrar para todos o quanto você está feliz com o progresso do seu pequeno. Sua vida não será mais a mesma. Será melhor ainda!”

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s