Mãe escreve carta emocionante após filho com síndrome de Down ser excluído de festa

De uma sala de 24 alunos, o pequeno Sawyer foi o único a não ser convidado para uma comemoração de aniversário.

Uma carta aberta da canadense Jennifer Kiss-Engele, publicada em seu Facebook no último dia 23 de junho, tem comovido pessoas do mundo inteiro. Mãe do pequeno Sawyer, que tem síndrome de Down, ela escreveu um texto destinado ao pai de um colega de classe do seu filho, que foi o único de uma turma de 24 alunos a não ser convidado para uma festa de aniversário. Ao saber do ocorrido, Jennifer, que luta pelos direitos das crianças especiais, decidiu se pronunciar.

E o que era pra ser apenas um desabafo acabou sensibilizando a web. A carta já foi compartilhada por quase 7 mil pessoas e conta com 2,6 mil comentários! Na rede social, muitos pais de meninos e meninas com síndrome de Down e outras necessidades especiais agradeceram a mãe de Sawyer pelo texto.

A seguir, leia a carta (traduzida para o português) na íntegra:

“Olá,

Eu sei que não nos conhecemos direito, mas o meu filho Sawyer e o seu filho estão na mesma classe. Sei que o seu filho distribuiu recentemente convites para todos os colegas, exceto para o Sawyer, que não foi chamado. Também sei que isso não foi um descuido seu, mas uma decisão intencional de não incluir o meu filho.

Quero que você saiba que não temos a expectativa de ser convidados para todas as festas de aniversário. Na verdade, quando Sawyer celebrou o aniversário dele no ano passado, convidamos apenas alguns amigos mais próximos, já que queríamos um evento menor porque era época de Natal. Mas no seu caso, o motivo não era esse. Na verdade, você convidou todas as outras 22 crianças da sala, menos o meu filho. Sei que não é porque ele é mau, porque você não poderia conhecer uma criança mais feliz. Sei que não é porque ele não é engraçado, pois ele tem um ótimo senso de humor e uma risada contagiante. E sei que não é porque eles não se dão bem, porque Sawyer já mencionou o nome do seu filho várias vezes. O único motivo por que você achou que era ‘ok’ não convidar o meu filho é porque ele tem síndrome de Down.

Sinto muito por você não estar informado, talvez assustado ou em dúvida do que significa ter síndrome de Down. Sei que se você soubesse mais sobre a síndrome de Down não teria tomado essa decisão. Não estou brava com você. Ao contrário: acredito que essa é uma oportunidade para você conhecer o meu filho. Sabe, ter síndrome de Down não significa que você não quer ter amigos. Não significa que você não tem sentimentos. Não significa que você não gosta de ir a festas de aniversário. Pessoas com síndrome de Down querem as mesmas coisas que eu e você. Elas querem bons relacionamentos, elas querem sentir amor, elas querem contribuir, elas querem vidas com sentido e elas querem ir a festas de aniversário. Às vezes, pode ser mais difícil entender a minha criança. Mas a risada e o amor que compartilhamos não precisa de intepretação.

Saiba que eu era igual a você. Eu era assustada, insegura e desinformada sobre a síndrome de Down antes de ter o meu filho. Me preocupava que os meus outros filhos não pudessem se conectar com Sawyer da mesma forma que irmãos fazem. Mas eu estava errada. Na verdade, os meus filhos são mais próximos do que a maior parte dos irmãos. Ter um irmão com síndrome de Down ajudou a torná-los indivíduos compassivos, que sabem que é ‘ok’ ser um pouco diferente dos outros. Eles não têm medo de ajudar quando veem que alguém está passando por dificuldades. E eles não têm medo de se aproximar de uma pessoa que eles podem não compreender totalmente. Em retorno, eles recebem muito amor e alegria por ter o irmão deles como melhor amigo. 

Talvez você esteja com dificuldade de falar com o seu filho porque ele não queria o meu filho no aniversário. Talvez você tenha deixado o seu filho decidir que era ‘ok’ excluir uma única pessoa. Sei que pode ser difícil ensinar para nossas crianças algo que nós mesmos não entendemos. Eu também luto contra isso. Mas essa é uma grande oportunidade e lição de vida para dar a uma criança. Elas vão lembrar da época em que os seus pais disseram ‘não é legal excluir alguém por causa da sua incapacidade, raça ou gênero’. Sei que você quer para o seu filho as mesmas coisas que eu quero para os meus. Como pais, queremos que nossos filhos sejam queridos, tenham amigos e não sejam deixados para trás. E a maneira de fazermos isso é dar o exemplo e encorajá-los a fazer escolhas que talvez eles ainda não tenham maturidade para compreender totalmente. Mas um dia eles vão olhar para trás com o entendimento e o conhecimento que dividimos com eles. Estou certa de que, com um pouco de encorajamento, o seu filho pode desenvolver uma amizade verdadeira com o meu filho e que isso vai deixar uma permanente e positiva impressão neles para o resto da vida.

Antes disso acontecer, eu não sabia que Sawyer não foi convidado para nenhum aniversário no último ano. As crianças estão chegando naquela idade em que elas convidam apenas alguns amiguinhos para as festas, mas ele ainda não está nessa fase. Outros pais de crianças com síndrome de Down que eu conheço costumam começar o ano letivo educando a classe, e eu não fiz isso. Ele sempre foi apenas o Sawyer para mim e nunca senti a necessidade de falar sobre a síndrome de Down com a sala dele até esse momento. Percebo agora que o deixei para baixo. Deixei passar um ano em que eu podia ter feito mais para educar as famílias. Talvez assim não estivéssemos nessa situação. Percebi que é minha obrigação como mãe dele educar as pessoas sobre o que significa ter síndrome de Down e como essas crianças são mais iguais a você do que diferentes. Agora sei o quanto é importante falar sobre isso e é algo que me comprometo a fazer melhor.

Por favor, saiba que estou aqui para conversar, se você quiser. Posso ser uma mãe urso, mas não sou uma pessoa assustadora. Reconheço que todos nós cometemos erros e que, no fim das contas, nós dois poderíamos ter sido melhores.

Obrigada,

Jennifer”

A resposta

Após a publicação e a repercussão desse texto, Jennifer obteve uma resposta. Segundo ela, os pais do menino que fez aniversário conversaram com ele e enviaram um convite especial ao pequeno Sawyer. “É claro que ele está radiante e não para mais de falar sobre isso”, contou. Agora, a mamãe espera que os outros pais que lerem a sua carta dialoguem com seus filhos e estejam abertos a fazer aquele convite “extra”. 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s