7 coisas que as mulheres aprendem com a maternidade

Que as prioridades mudam, que o tempo pode ser aproveitado de outra forma e que o amor pelo filho é algo impossível de mensurar. Veja a lista completa!

Desde que você teve filhos, muita coisa mudou na sua vida, não é mesmo? Os planos futuros, a rotina corrida, a falta de sono nos primeiros meses, as preocupações… Ser mãe é experimentar uma mistura de sentimentos: é ficar alegre e insegura ao mesmo tempo, é ter medo de algumas situações, mas descobrir que existe uma grande força dentro de si.

A maternidade é mesmo uma experiência repleta de descobertas, conquistas e aventuras. Por isso, perguntamos às nossas leitoras nas redes sociais o que elas aprenderam depois que se tornaram mães. Confira o que elas disseram e prepare-se para se emocionar com os depoimentos! 

1. Que as prioridades mudam

(Halfpoint/Thinkstock/Getty Images)

Prioridade para você é viajar, aproveitar um tempinho de folga para se cuidar e conquistar aquele cobiçado cargo na empresa em que trabalha? Pois saiba que, com a chegada de uma criança, muitas mudanças podem acontecer. “Amo maquiagem, só que hoje em dia me contento com uma base para cobrir algumas olheiras, mas sempre que posso, gosto de me maquiar. Eu sou a prova viva de que ‘cuspir para cima cai na testa’ porque achava um absurdo quando ouvia que não dava tempo para tomar um banho demorado ou se arrumar, mesmo que fosse para ficar em casa. Perdi totalmente o meu orgulho e até um pouco da vaidade, mas achei risos e olhares nunca encontrados nem nos melhores flertes”, comentou Gilsy Gil.

Realmente, a maternidade faz com que algumas coisas que eram imprescindíveis percam um pouco a importância. A leitora Tina Lina também deu o seu depoimento e contou que, desde que a sua filha nasceu, ela se tornou prioridade. “Tenho dores na coluna que iniciaram na gravidez e persistem até hoje. Abri mão do emprego que sempre sonhei por não ser conveniente para mim e para ela (carga horária muito extensa) e nunca mais tive um sono pesado até o amanhecer. Mas ela também me trouxe muitas alegrias e preencheu um vazio que eu não sabia que existia”, escreveu a mamãe.

2. A ser menos egoísta

(Halfpoint/Thinkstock/Getty Images)

Essa mudança de objetivos automaticamente faz com que as mães sejam mais altruístas. A Tai Alves declarou que, quando achou que não faltava mais nada na sua vida, foi surpreendida com a chegada de Pedro. “Aprendi a ser menos egoísta. Não durmo como antes e isso não me preocupa mais. Antigamente acordava de mal humor quando não dormia direito e descontava em quem estava à minha frente. Hoje, não como na hora que eu quero e, sim, quando posso dar uma ‘fugidinha’. Tudo pensando sempre nele”, relatou no Facebook.

A presença de um filho muda os eixos da vida das mães, que passam a enxergar o mundo com outros olhos. “Eu deixei de pensar somente em mim, nas minhas coisas, para aprender a dividir, esperar, anular ou simplesmente deixar a vontade para depois. Aprendi a falar baixo, a cantar, a ser a princesa da história ou a bruxa malvada e, principalmente, a ser forte e corajosa”, afirmou Thais.

3. A aproveitar melhor o tempo

(ChristinLola/Thinkstock/Getty Images)

Quando alguém diz que está cansado e ainda não tem filhos, você tem vontade de dar risada? Pois é! Essa é a reação que a maioria das mães têm! Mas apesar do desgaste, a experiência da maternidade pode trazer uma otimização melhor do tempo. “Antes de ter filho, qualquer coisa era motivo para eu estar morta de cansaço e passar o dia deitada no sofá. Hoje, durmo entre 6 e 8 horas por noite, acordo cedo, passo o dia cuidando das tarefas domésticas, da nossa bebê, mas ainda tenho tempo de ficar com o meu marido, assistir filmes, sair, navegar na internet – tudo isso sem ficar extremamente cansada como antigamente. Parece que quando virei mãe, ganhei junto um fardo de força extra – tanto física quanto emocional”, opinou Gislaine Kotviski.

4. A ser uma pessoa mais forte

(Design Pics/Thinkstock/Getty Images)

Sim, a maternidade traz uma força enorme para as mulheres que, muitas vezes, nem elas sabiam que tinham. “Descobri que ser mãe é extintivo. Reconheço cada choro, sorriso, olhar e gesto. A vida de uma mãe é árdua, mas é gratificante. O colo de mãe cura tudo e o amor é bem maior do que sentíamos por qualquer outra coisa. Ser forte é uma necessidade, afinal, não podemos nos abater por nada nesse mundo, já que eu sou o porto seguro dela. Ser mãe é se tornar completa”, ressaltou Taynan Servano.

A experiência de ter um filho também pode trazer o sentimento de insegurança no início. Mas com o tempo, a mãe se adapta à nova função e aprende a confiar no seu instinto. “Eu tive medo do desconhecido. Chorei por não saber o que fazer e quando conseguia me acalmar, sempre brotava o sentimento de super-heroína. Mas sou mãe, estou realizada e muito feliz”, completou Anna Romualdo.

A leitora Steffany Oliveira também compartilhou o seu relato: “Eu criei expectativas sobre apoio e ajuda no pós-parto – coisa que eu não tive, nem mesmo da família. Mas isso me fortaleceu bastante. Eu não sinto falta de ninguém, meu marido preencheu todas as lacunas que foram aparecendo e isso também ajudou a fortalecer o meu casamento, que eu nem sabia que poderia ser mais forte”.

5. A superar os próprios limites

(Rayes/Thinkstock/Getty Images)

Como dissemos anteriormente, o nascimento de uma criança muda as prioridades de qualquer família. Mas com isso, as mães também percebem que é possível superar limitações e dificuldades – tudo por um bem maior. “Por ser uma mãe especial (tenho epilepsia de difícil controle há 26 anos), meus filhos me trazem a segurança de que posso tudo nessa vida e de que dou conta, sim. Posso amamentar, levar ao médico e para tomar vacina, além de cuidar da catapora. Me sinto uma supermãe mesmo quando não consigo fazer tudo. Meus filhos me tornaram a mulher forte que sou a cada dia, mesmo com as lágrimas rolando embaixo do chuveiro”, comentou Clarice Marques.

Assim como ela, a mamãe Jackie reforçou que tudo ao seu redor mudou com a chegada de um bebê: “O dia ficou muito mais puxado e foi necessário criar uma rotina para o que antes era feito quando e a hora que eu quisesse. Mas aprendi a decifrar o choro e entendi a minha mãe, que tinha razão quando dizia que eu entenderia quando fosse mãe: eu aprendi o sentido real do amor”.

6. A ter mais empatia

(Martinan/Thinkstock/Getty Images)

No universo da maternidade, há muitas mulheres que julgam as atitudes de outras mães. Mas, apesar disso, existem pessoas que estendem a mão e exercitam a empatia. “O meu olhar mudou: agora, eu respeito as mães, sou uma filha melhor e me preocupo com os meus filhos antes de tudo! Além de conhecer as pessoas que eu amo sem limites… Só mãe entende”, afirmou Ana, que é mãe da Fábia e do José.

Depois que passam pela experiência de ter um filho, muitas mulheres entendem que, na prática, as coisas nem sempre acontecem como elas haviam idealizado e isso faz com que elas tenham uma compreensão melhor do que acontece ao seu redor. “Minhas prioridades mudaram. Tudo o que faço e decido é pensando no bem estar e na felicidade deles. Aprendi que educar é muito difícil e exige dedicação e paciência. O que eu acho certo para os meus filhos talvez não seja o mesmo que as outras mães pensam e eu devo respeitar isso”, escreveu Susana Carnielo.

7. A amar incondicionalmente

(Halfpoint/Thinkstock/Getty Images)

Esqueça por um instante o amor que você sente pelo seu marido, pelos seus pais, irmãos e amigos. O sentimento que você descobrirá com o nascimento de um filho é avassalador. “Ouvi muito falarem que só quem é mãe sabe o que é amor incondicional. Hoje sou a prova viva disso. Há quatro anos fui abençoada por Deus. Ele colocou na minha vida a minha filha Lorena e posso dizer que agora tudo faz sentido, que tenho um coração batendo fora do corpo – mesmo com os quilos a mais, com a rotina mudada. O meu amor por ela é capaz de superar qualquer frustração”, destacou Gleidijane Castro.

Ser mãe é experimentar um misto de sentimentos: alegria, emoção, insegurança, medo e, claro, muito afeto. “Aprendi a dar valor às coisas simples e que um sorriso no meio da madrugada te faz esquecer do sono, do cansaço. Aprendi que muitas vezes a gente erra, mesmo tentando acertar e que, por mais que a gente se esforce, às vezes as coisas fogem do controle e mesmo tendo muita informação por aí, tem horas que ficamos perdidas, pedindo um manual de instrução. Aprendi também que a maternidade nos deixa em uma linha tênue entre o estresse absoluto e o amor infinito – amor este que eu desconhecia. Que é puro, impossível de mensurar”, relatou Juh Kanashiro.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s