Mãe farmacêutica cria joias feitas com leite materno

Já pensou em eternizar a fase da amamentação em um pingente, brinco ou berloque? Conheça essa proposta!

Júlia Quintana Moraes, de 33 anos, é mãe do pequeno Gustavo, de 7 meses, e está grávida de outro menininho. Apesar de ter passado por algumas dificuldades, ela revela que a amamentação do primogênito foi um período muito especial. “O único problema que enfrentei é que eu tinha muito leite. Doava cerca de dois litros por semana, mas tive três episódios de mastite, tomei antibióticos e senti muita dor”, contou em entrevista ao Bebê.com.br.

Por motivos de saúde, ela não conseguiu continuar a amamentação depois dos seis meses de vida do pequeno. “Eu descobri que estava grávida quando o mais velho tinha quatro meses e corri o risco de perder o bebê, então o pediatra e a obstetra acharam melhor eu desmamá-lo. Mas confesso que a minha produção de leite caiu muito com a nova gestação e por eu estar trabalhando. Acredito que o lado emocional influencia muito também”, revelou a farmacêutica.

Inspirada em fazer algo diferente para que as mães pudessem guardar uma recordação material da amamentação, Júlia resolveu criar a marca Pingente de Amor em março de 2017. As joias são artesanais e feitas com o melhor alimento que o bebê pode receber nos primeiros meses de vida: o leite materno. Até o momento, a coleção é composta por berloques, pingentes e brincos. E vale lembrar que as peças possuem peculiaridades diferentes, que variam no peso e na cor. Confira o nosso bate-papo com a empresária e saiba mais sobre o projeto:

Primeira selfie dos gordinhos!!! #carrego9mesesesaiacaradopai

A post shared by juliaquintana (@juliaquintana) on

Como surgiu a ideia de fazer joias com o leite materno?

Júlia Quintana (J.Q.): Eu fui passar a virada do ano de 2015 para 2016 nos Estados Unidos porque o meu irmão mora lá e conheci essa ideia. Eu e o meu marido estávamos tentando engravidar, mas ainda não tinha rolado. Voltei para o Brasil e, em fevereiro, descobri que estava grávida. Tive o meu bebê em outubro e, no fim de dezembro, em um grupo de mães que eu participo no Facebook, uma menina perguntou se alguém conhecia uma pessoa que fizesse uma recordação de joia com leite materno. E daí me voltou a lembrança e eu disse que não conhecia, mas que ia tentar reproduzir essa proposta. E de fato não tinha ninguém em Porto Alegre que fazia essas joias, então eu comecei a testar.

E como foi esse processo experimental até chegar no resultado final?

(J.Q.): Levei mais ou menos uns dois meses fazendo testes. Foi tudo na tentativa e erro. O meu marido disse que eu transformei a casa em um laboratório químico e até hoje faço os pingentes em casa. Eles reagem com metal, então tenho que produzi-los em moldes de silicone. Por enquanto eu faço só os modelos disponíveis no site, mas estou começando a aprender como fazer moldes para atender aos pedidos mais individualizados e personalizados. Mas confesso que na época que estava fazendo os testes para conseguir petrificar o leite, pensei seriamente em desistir. Até que teve um momento em que vi uma das peças que tinha feito logo no início e ela estava toda derretida, mas petrificada. Daí eu me dei conta de que não é um processo de um dia para o outro – demora de 15 a 20 dias. Então eu aperfeiçoei a técnica e percebi que quanto mais gorduroso o leite é, mais tempo leva para solidificar.

Como as mães fazem para solicitar os pingentes?

(J.Q.): As que são de Porto Alegre podem entregar o leite em um endereço da cidade, que funciona das 9 às 18h, de segunda a sexta-feira. Mas a gente tem recebido pedidos de todo o Brasil. Para entregar, as mães congelam de 10 a 20 ml de leite materno, que é o que precisa para fazer um pingente, em qualquer embalagem descartável – pode ser saquinho zip lock e até pote de papinha de bebê. Daí elas colocam dentro de um isopor, para manter a amostra refrigerada, e mandam por correio – por Sedex, se ele chegar em até três dias não tem problema, ou Sedex 10, que entrega no dia seguinte. O leite não precisa chegar congelado. Ele só não pode ter secado até que eu receba o conteúdo, pois preciso utilizá-lo na forma líquida. A mamãe que quer ter o pingente deve acessar o site, escolher o modelo e efetuar a compra. Assim que recebo o material, eu já sei de quem é e posso começar a fazer a joia.

Você se dedica exclusivamente ao projeto?

(J.Q.): Sim. Atualmente eu trabalho só com isso. Este mês é o terceiro da empresa e no mês passado eu já tive mais de cem pedidos para o Dia das Mães. Incrivelmente, este número segue aumentando. A média de valor dos pingentes varia de R$ 89 a R$ 149 e eles são folheados a prata ou ouro. Na semana passada, eu lancei um berloque de prata, que custa R$ 149, que você coloca na pulseira. Também criei recentemente o brinco e, como são dois pingentes nele, o preço é R$ 179, mas ele também é de prata.

Confira as peças:

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s